quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

O que esperar de MARCELINHO PARAÍBA no SÃO PAULO


Já se vão 13 anos que o São Paulo foi buscar Marcelinho Paraíba e Alexandre Rottweiler no Rio Branco de Americana. O jogador que corria e driblava muito mas produzia pouco, logo na chegada ao Morumbi, se tornou o oposto dentro de campo agora na última parte da carreira. Marcelinho trata como poucos a bola, enxerga como ninguém o espaço vazio dentro de campo e aprendeu a finalizar com correção.

Tratado como craque pela direção do São Paulo, Marcelinho precisará dar exatamente essa resposta dentro de campo. Basicamente, brilhar dentro de um conjunto, o que raras vezes ele conseguiu ao longo da carreira. A situação no Coritiba, em que Paraíba jogava sozinho, também aconteceu no Hertha Berlin, onde ele viveu os melhores dias na Europa. Na volta ao Morumbi, precisará novamente ser o diferencial, mas em um time organizado.

Marcelinho gosta de jogar sem posicionamento fixo em campo, flutuando do meio para o ataque no espaço onde enxergue mais produtivo, e se receber essa responsabilidade será peça fundamental na possível mudança de conceito do time são-paulino com Ricardo Gomes.

Em uma equipe solta, certamente Marcelinho Paraíba fará parte desse processo. É até possível imaginar que um fiasco seu dentro de campo, difícil de se imaginar, signifique a repetição do modelo de jogo das últimas quatro temporadas.

4 comentários:

Papo de Pub - Futebol Inglês disse...

Ele não brilhou no Flamengo, mas jogou muito bem no Coritiba.

Agora concordo, a resposta ele dará dentro de campo, de qual Marcelinho ele será. Do Coritiba ou do Flamengo.

Grande abraço,
Blog Papo de Pub - Futebol Inglês

Vinícius Franco disse...

Acho que Marcelinho dará certo e será titular no São Paulo. Me parece ser uma boa aposta.

Inclusive, fiz um post hoje falando sobre o time do São Paulo, colocando Marcelinho Paraíba titular do ataque: www.canalsports.com.br/viniciusfranco

Parabéns pelo blog
abraços

Michel Costa disse...

Quando fiquei sabendo que o Marcelinho era pretendido pelo SPFC, logo me lembrei de sua primeira passagem pelo clube.
Na ocasião, o técnico Nelsinho Baptista o escalava como uma espécie de volante pela esquerda com a nítida função de cobrir as subidas de Serginho, que estava voando.
Olhava para aquilo e achava um verdadeiro absurdo, um desperdício de talento. Ao acompanhar o desenvolvimento da carreira do Paráiba tive certeza disso.

Abraços.

debora disse...

muitos gols,tenho vontade de ve-lo pessoalmente,sou fa desse cara.