quinta-feira, 26 de novembro de 2009

LDU, a gente já sabia


Até enfrentar o Fluminense, a LDU tinha 13 vitórias, seis empates e só uma derrota em suas últimas 20 partidas jogadas em Quito. O revés, diga-se, foi contra o Sport, no fechamento da recente Libertadores, quando já estava eliminada. Lá, também, enfiou 7 nos uruguaios do River Plate há uma semana. É uma máquina o time que encerrou a invencibilidade do Fluminense e deve conquistar seu terceiro título continental em um ano.

Impressiona, na LDU Quito, é a política de trabalho que não se altera. Garimpando bons nomes baratos pelo continente (como foram Guerrón, Manso e Bieler – este ainda no time), revelando jovens (como o goleiro Domínguez), exercendo seu poder econômico e enfraquecendo os rivais do país (como ao tirar Miller Bolaños do Barcelona) e principalmente resgatando quem tem história no clube: Ulisses de La Cruz, Reasco e Edison Mendez são os nomes mais recentes dessa política. Jogadores que passam, fazem história, vão para o exterior e retornam.

Esse processo também inclui a caça aos bons técnicos do continente. Passaram com sucesso por lá Manuel Pellegrini, agora no Real Madrid, Edgardo Bauza, campeão da Libertadores, e Jorge Fossatti, ex-seleção uruguaia, e agora de volta para o time virtual vencedor da Sul-Americana.

O sistema tático não é engessado durante os anos, mas a forma de jogar é sempre a mesma: muita velocidade, aproveitamento total dos flancos do campo e força física, com intensidade durante os 90 minutos num estádio hostil e com uma torcida vibrante. Mesmo perdendo toda a base campeã da Libertadores, segue fortíssimo e quase impossível de parar.

Que o diga o Fluminense, sufocado e depenado em Quito.

Matéria: Flu se aproxima das piores derrotas em finais sul-americanas

Um comentário:

sacramento_claudio disse...

É um time que se mantém homogêneo ao longo do tempo mesmo quando troca jogadores. Impressionante a visão dos dirigentes de lá. Já que não é um clube grande na América do Sul eles resolveram adotar essa mentalidade para colher frutos a longo prazo. Deu muito certo. Agora a LDU está no caminho para ser grande no continente.