segunda-feira, 16 de novembro de 2009

São Paulo ou Flamengo?


Os dois maiores da história do Campeonato Brasileiro devem realmente se dividir na disputa pelo título, ficou concluído após a última rodada, restando apenas nove pontos em jogo. Matéria da Folha de S. Paulo no último sábado mostrou que apenas o Santos, em 2004, na história dos pontos corridos, ganhou a taça em situação idêntica à do Fla em 2009.

É verdade que o Palmeiras possui chances razoáveis, indica a classificação, mas a tabela complicada, os desfalques e principalmente o mau momento indicam essa probabilidade como remota. A tendência é que o time de Muricy brigue com Internacional, Atlético-MG e Cruzeiro por jogar a próxima edição da Libertadores.

1° lugar: São Paulo - 62 pontos - 17V, 11E, 7D - 49 GP, 35 GC
2° lugar: Flamengo - 60 pontos - 17V, 9E, 9D - 54 GP, 43 GC

Nas linhas abaixo, um duelo de cinco fatores decisivos para as rodadas finais:

TABELA - Flamengo

Vantagem leve para o Flamengo, que tem dois jogos no Maracanã, contra os já desinteressados Goiás e Grêmio. No meio do caminho, uma visita ao Corinthians em ritmo de férias. Já o São Paulo tem um jogo duro, no fim de semana, em visita ao desesperado Botafogo. Depois, duas molezas: Sport, talvez no Morumbi ou no interior, mas já rebaixado, e o Goiás, adversário de boas memórias nos últimos dois títulos.

TREINADOR - São Paulo

O equilíbrio também é enorme, mas não há como diminuir a maior experiência de banco de reservas que tem Ricardo Gomes, por mais que Andrade seja o grande técnico do Brasileiro.

CRAQUE - Flamengo

Aqui, de longe, a vantagem é do Flamengo, com o melhor jogador do Brasileiro, Adriano, e um dinossauro juvenil, Petkovic. Até no gol, Bruno vem melhor que Rogério Ceni. O São Paulo aposta justamente no contrário: a força do conjunto, que tem cinco tricampeões no elenco - Ceni, Bosco, Miranda, André Dias e Richarlyson.

EXPERIÊNCIA EM DECIDIR - São Paulo

É o time super acostumado com a situação das rodadas finais. Prova disso é que, em 2006, 07 e 08, jamais o São Paulo perdeu a liderança depois de assumir. O Flamengo conta com o grande embalo e um elenco também experiente, é verdade, com Álvaro, Maldonado e Pet, mas um pouco atrás nesse quesito.

DEFESA - São Paulo

O Flamengo impressiona pela força defensiva: jogou 16 jogos no returno e não tomou gols em 10. Mas a defesa tricolor é, provam os números, a melhor do Brasileiro. Foi assim também em 2006 e 2007. No ano passado, foi a segunda melhor, atrás apenas do Grêmio, com só um gol a menos que os são-paulinos.

3 comentários:

Futebol ao Cubo disse...

O Bruno deu uma das declarações mais inteligentes que eu já vi vir de um jogador do Flamengo, quando afirmou que o título até poderia não vir, mas que o Flamengo já era campeão. Espero que a torcida encarne esse espírito também, pois a marca Flamengo voltou a impor respeito depois desse final de Campeonato.

O trabalho do Ricardo Gomes é estranhamento não falado. Falam de Andrade e Silas, com toda justiça do mundo, mas sobre o RG fica a sensação que ele não tem mérito algum, que a imprensa vê a colocação do SP como obrigação. O trabalho dele é excepcional, com ou sem título.


Abraços!

Wilson Hebert disse...

Dassler, o Flamengo passa por uma transição de espírito. Lógico que conquistar um título, ainda mais num ano de eleição, e 17 anos após a última conquista, é uma situação pra ser comemorada até a volta da próxima temporada.

Mas caso nao consiga ultrapassar o São Paulo nesse embate particular, acredito que tambem deva haver motivos para se comemorar.

Um time que até 2006, vinha cada vez com a moral mais diminuída nacionalmente. Em alguns momentos, não conseguia se impor nem mesmo no Maraca, contra adversários da terceira classe do futebol brasileiro.

Em 2007, na inesquecível arrancada sob o comando de Joel Santana, as coisas começaram a mudar. Ao que tudo indica, o Flamengo encarnou o espírito "pontos corridos". E nesse ano, tem tudo pra conseguir terminar o Brasileirão entre os cinco líderes, pela terceira vez consecutiva.

Isso é um belo avanço. Se permanecer entre os primeiros nos próximos anos, logo logo conquista o hexa.

Abraço!

Futebol e Arte disse...

Futebol ao Cubo, Ricardo Gomes não é valorizado simplesmente porque se olha para o campo e se vê o mesmo estilo do Muricy. O novo treinador até tentou fazer o time colocar a bola no chão, mas depois largou no "piloto automático".