quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Dunga atrapalha Adriano


Generalizando, há dois tipos de jogadores: os que precisam de carinho para render e os que precisam de pancada. Quando chegou ao Palmeiras, Felipão percebeu que Júnior, o lateral, precisava de mais afagos que pancadas. Daí ele ter virado o Juninho e deslanchado no clube. Outros, precisam de cobrança dura, não podem ter sossego: é o caso de Felipe, goleiro do Corinthians, que Mano Menezes peitou após a Copa do Brasil do ano passado.

O caso de Adriano, convocado por Dunga nesta quinta-feira pela oitava vez na Seleção desde o Mundial de 2006, parece bastante peculiar. Quando muito cobrado, caso de Mourinho, ele se esconde. Se recebe muitos carinhos, como com Parreira, ele se acomoda. Por enquanto, falta a Dunga "dar pancada"em Adriano.

Em má fase após o Mundial, Adriano apareceu pela primeira vez com Dunga após a Copa em fevereiro de 2007, para enfrentar Portugal. Era apenas o início de uma suposta recuperação, mas o treinador apressou o retorno. Tanto que ele voltou a fazer das suas e só foi chamado de novo quase um ano depois. Até hoje, a verdade é que não convenceu e, para piorar, depois da última chamada para a seleção, aprontou o papelão de se esconder da Internazionale e "pediu um tempo" só para poder rescindir e assinar com o Flamengo.

Na Gávea, bastou uma meia dúzia de jogos razoáveis para Adriano, que parece fora de forma, ser novamente convocado. O que Dunga não percebeu é que isso provoca um efeito negativo na cabeça do Imperador. Melhor seria deixá-lo assim, quieto, e chamá-lo apenas na hora do pega pra capar. Aguardemos os próximos capítulos.

Um comentário:

gerson disse...

essa convocação é, no mínimo, falta de profissionalismo do Dunga. Grafite e cLéber, p.ex., estão melhores na fita.