terça-feira, 27 de outubro de 2009

As quatro novidades de Dunga


A menos de um ano da Copa do Mundo, é positivo Dunga pensar em testes novos. Primeiro porque, de fato, há lacunas a preencher, especialmente no leque de opções do banco de reservas e alternativas táticas. Segundo porque dá a sensação aos jogadores, o que foi reforçado na entrevista coletiva, de que ninguém tem cadeira cativa. André Santos, deixado de fora da lista, que o diga.

Não há como não cobrar a oportunidade que Grafite merece há tempos e verificar que Robinho, instável nos últimos tempos, não tem um reserva 100% confiável. Alguém também poderia ter aparecido por ali.

Fábio Aurélio: merecia ter sido lembrado há muito tempo, como o próprio Dunga admitiu, e realmente teria não fosse uma lesão na pré-temporada do Liverpool. É a esperança para os problemas sérios do setor, eventualmente quebra o galho no meio-campo - foi campeão espanhol jogando assim com o Valencia -, e parece ter na Inglaterra um adversário ideal para mostrar serviço.

Michel Bastos: se fosse uma opção confiável para o meio-campo, valia levá-lo e deixar apenas um lateral-esquerdo na lista. Mas, crer nele como real opção para uma linha defensiva é surreal. No Brasil, só funcionou atuando como ala, e na Europa virou meia externo ou mesmo ponteiro em alguns momentos. Não tem cancha para atuar na Seleção.

Carlos Eduardo: é mais uma opção interessante e que, cabe lembrar, estava na pré-lista da Copa América em 2007. No Grêmio, realizava função semelhante a Robinho, mas virou outro tipo de jogador na Europa. Marca forte atuando ao lado de um volante e outro meia, seja pela direita ou pela esquerda, e arma bem o time. Pode ser o reserva que Felipe Melo ainda não tem.

Hulk: o atacante do Porto tem um nome que é puro marketing e uma perna esquerda poderosa. Precisará impressionar e muito, nos dois amistosos, para aparecer na Copa do Mundo. Merecia uma oportunidade, mas talvez ela tenha vindo tarde demais. Difícil não ver Luís Fabiano, Adriano, Robinho e Nilmar na Copa. Hulk não deve ser o atacante para quebrar a preferência pelo quarteto.

2 comentários:

Futebol ao Cubo disse...

O Michel Bastos virou meia, e ainda por cima pela direita, por ter um enorme potencial de trazer por dentro e chutar forte. Das três apostas, parece-me a que mais tem chances de se firmar.

E digo três porque o Fábio Aurélio não é mera aposta, o cara é o lateral brasileiro mais completo, aprendeu a marcar desde os tempos de Valencia. Fora a opção das bolas paradas, "posição" em que não há grandes nomes na seleção.

Abraços!

Luis Marcelo Bim Tedesco disse...

Eu acho que o Dunga precisa de testar alguns jogadores, pois se algum jogador do elenco se machucar(o que nao seria surpresa), a seleçao nao tem outras opçoes.
Dentre os chamados, a do Fabio Aurelio é a melhor. Já passou da hora dele ser convocado, é como titular.
O Michel Bastos eu já nao gostei, ele tem jogado como meia, o que dificulta e nao apresenta futebol tanto para a lateral como para o meio, mas como é epoca de apostas.
O Carlos Eduardo e o Hulk sao boas apostas, um jogador mais de area,para substituir Luis Fabiano ou Adriano e o outro para a segundo atacante, para substituir Robinho e Nilmar.