quinta-feira, 1 de outubro de 2009

A primeira vez de Oscar


Cerca de uma hora antes do início de Náutico e São Paulo, conversava com Zé Sérgio. Técnico sub-17 são-paulino há seis anos, Zé, um dos últimos grandes pontas de nosso futebol, falava da dificuldade que os garotos da base tricolor têm no profissional, quando as oportunidades normalmente não passam de 20 minutos de jogo.

Curiosamente, pouco tempo depois, na partida entre paulistas e pernambucanos, Oscar foi chamado por Ricardo Gomes nos Aflitos. Pela oitava vez, entrou em campo neste ano e, como em todas as outras, teve menos de 20 minutos para mostrar serviço. Acionado no lugar de Marlos, apagado, Oscar formou grande dupla com Hugo, que resolveu para o São Paulo pela segunda vez em Recife neste Brasileiro.

Oscar deu assistência precisa para Hugo, proporcionou a expulsão de Michel e ainda deixou Rodrigo na cara de Gledson para fazer o terceiro. Está claro que o garoto, que só entrou em campo pelas suspensões de Dagoberto e Washington, e mesmo assim por apenas 20 minutos, merece mais espaço - casos também de Wellington e Henrique.

De qualquer forma, o São Paulo renasceu nos 45 minutos finais nos Aflitos. Empatou com um a menos, virou com dois a menos, e no mínimo manterá os cinco pontos de distância para o líder. Um dia para não se esquecer no Morumbi. O dia do primeiro grande brilho de Oscar no profissional.

3 comentários:

Saulo disse...

Ele fez uma grande partida.

Blog do Tavares disse...

Tem muito sãopaulino que tem no Oscar a grande aposta do tricolor nos próximos anos. É esperar para ver...

Abraços!

Henrique disse...

Assisto jogos dele desde que ele tinha 15 anos.
.
Uma jóia rara.
.
Maior que kaká? Esperar pra ver...
.
Gostaria muito de ver Oscar e WIlshere do Arsenal jogando juntos em algum time no futuro. E Wellington ainda ganha uma copa pra gente...