quinta-feira, 3 de setembro de 2009

A mentira e os problemas do Mundial Sub-20


Em 2007, William, Alexandre Pato e Renato Augusto se tornaram desfalques decisivos para Corinthians, Inter e Flamengo, respectivamente, servindo ao time brasileiro que deu vexame e caiu nas oitavas de final do Mundial disputado no Canadá. Dois anos depois e, desta vez, sem qualquer jogador estrangeiro, além de ser disputado praticamente todo em outubro, o torneio virou um problema ainda maior para os clubes brasileiros.

Com justiça, clubes reclamam de ceder titulares importantíssimos, como são Paulo Henrique Ganso para o Santos, Giuliano e Sandro para o Inter, ou mesmo Tolói, Ciro e Alex Teixeira, por exemplo. Por outro lado, a competição é fundamental no desenvolvimento desses jogadores, em dar a eles experiência internacional e vivência com a amarelinha.

A questão é que o Mundial Sub-20, sem respaldo no calendário da Fifa, deixou de ser amador há muito tempo. Meninos, como eram Elber em 1991 e Adriano Gerlin em 1993, já são fundamentais em seus times. Hoje até Neymar, que deveria disputar o Mundial Sub-17, já é realidade no Santos. A Fifa precisa seriamente repensar o modelo de suas competições de base, o que também é aplicado aos Jogos Olímpicos que contou com brigas de Diego com o Werder Bremen e Messi com o Barcelona, por exemplo, para poderem atuar.

É mentira, no entanto, que a geração atual é mais fraca. Acontece que o que sobrou para o treinador Rogério Lourenço é a raspa do tacho. Ou Alexandre Pato, Breno, Rafael, Sidnei e Rafael Carioca, por exemplo, são jogadores de baixo nível?

4 comentários:

Álvaro disse...

Dassler, por que os jogadores de times europeus não podem ser convocados? Por que os times brasileiros podem ser desfalcados e eles não?

sacramento_claudio disse...

Concordo plenamente com você, Dassler. A FIFA criou a competição e hoje em dia não dá o apoio necessário para que ela seja disputada com todos os jogadores possíveis como era antigamente. Senão para que ela continua existindo? Assim como as divisões de base dos clubes, a base das seleções são importantes para dar continuidade ao desenvolvimento dos jogadores. Importância este tipo de competição tem. Cabe à FIFA tratá-la como ela merece.

André Rocha disse...

Dassler, Toda vez que converso com o Lucho Nizzo ele só fala nisso. Disse que a tendência é que os torneios sub-17 e sub-20 acabem em futuro bem próximo. Abraço!

argentinabrasiljuntos disse...

O mesmo problema acontece na Argentina. Porém, eu acho que a prioridade deve ser -sempre- das seleções nacionais (sejam sub-20 ou o que forem!). Os clubes devem ajudar para ter uma melhor seleção.
Além disso, são os mesmos clubes os que têm benefícios por ter jogadores na competição. Por exemplo, possíveis vendas ao exterior desses jogadores.
Um abraço!