domingo, 6 de setembro de 2009

Saudades de Pekerman


A noite de Rosário foi toda brasileira. Foi a terceira vitória de Dunga em quatro jogos contra a Argentina (3-0, 3-0, 0-0 e 3-1), a segunda vez na história brasileira com quatro vitórias consecutivas nas Eliminatórias, a invencibilidade ampliada para 18 jogos e a primeira derrota dos argentinos em seus domínios desde 96. A cereja no bolo pintado em verde e amarelo foi a classificação assegurada para a Copa do Mundo da África do Sul.

No Gigante de Arroyito, no entanto, o que chamou mais a atenção foi a fragilidade do time de Diego Maradona. Se Dunga não é, ou não era treinador, o que dizer de Dieguito? A Argentina se mostrou um time sem ideias, sem armação pelo meio, sem jogadas pelas faixas do campo e sem o menor poder de fogo diante da ótima marcação brasileira, a despeito de ter atacantes da estirpe de Tevez, Messi, Aguero e Diego Milito. Sem padrão tático e dependente de inspirações individuais, como no gol do fraco Dátolo.

Na defesa, a Argentina é tão ou mais vulnerável. A cada bola alçada por Elano, um tormento. No gol de Luisão, há dois marcadores em Luís Fabiano, e o beque brasileiro aparece livre para marcar. Em seguida, quase o Fabuloso, de 19 gols com Dunga, é quem escora livre. Com bola rolando, os problemas aumentam, porque só Mascherano marca no meio. Heinze, uma negação no ataque, é capaz de deixar uma avenida em suas costas para Kaká, em noite de melhor do mundo, achar espaço no terceiro gol.

Os erros com Alfio Basile e com Maradona só aumentam as saudades de Pekerman ou mesmo de Bielsa, que montaram equipes com altíssimo padrão de jogo e que fizeram bonito, com seus erros e hesitações em momentos agudos dos últimos dois Mundiais. Há três anos, a Argentina era capaz de dar espetáculo e ser competitiva, rodava a bola e achava espaços em qualquer defesa.

Os resultados de sábado, como a vitória do Equador sobre a Colômbia e a do Peru sobre o Uruguai, ajudaram a Argentina, que também por isso deve chegar até a Copa do Mundo. O que fazer daí em diante? Uma grande interrogação para os argentinos.

4 comentários:

Vinícius Franco disse...

A Argentina está mesmo muito frágil, mas o Brasil foi impecável ao explorar os erros da insistente Argentina e defender quando Messi ameaçava alguma jogada genial.
O Argentina fracassou, mas o Brasil teve 'culpa' disso.

Saulo disse...

O Brasil calou a boca do cheirador Maradona. Todo o time jogou bem de mais e não caiu na conversa deles.

Parabéns para a Seleção Brasileira que já está na Copa.

Anselmo disse...

Volta, Pekerman?

Não. Fica, Maradona!

o brasil não foi impecável. teve falha até do luisão na zaga aos 45. mas nao comprometeu.

acho que o problema é que é a mais corintiana das seleções argentinas. acho que aí mora o karma de não ir bem. afinal, a tradição corintiana é não ir bem em jogos internacionais.

maldade...

Pâmela-LF disse...

O jogo foi muito bom!
Os argentinos falaram muitas coisas durante a semana colocando pilha no jogo mas não deu resultado, o Brasil entrou em campo concentrado e ciente do que deveria fazer...

Fabuloso foi espetacular..
O passe do Kaká foi majestoso!

A seleção esta caminhando bem...

Ótimo blog, gostei muito, se possível espero você lá no meu para conhecer :P

Abraços

Pâmela