terça-feira, 22 de junho de 2010

Resumos: Grupo A e Grupo B


GRUPO A: Uruguai 7 pts - México 4 pts - África do Sul 4 pts - França 1 pts

URUGUAI
Sistemas táticos: 3-4-1-2 / 4-3-1-2 / 4-3-1-2
Nota do time: 7,5
Nota do treinador: Oscar Tabarez - 7,0
Melhor jogador: Luis Suárez
Melhor jogo: Uruguai 3 x 0 África do Sul
Também foram bem: Maxi Pereira, Victorino e Diego Forlán
Decepção: Lodeiro
O que deve melhorar: Aproximação dos volantes na frente
Até onde vai: quartas

MÉXICO
Sistemas táticos: 4-3-3 / 4-3-3 / 4-3-3
Nota do time: 6,5
Nota do treinador: Javier Aguirre - 5,5
Melhor jogador: Rafa Márquez
Também foram bem: Salcido, Giovani dos Santos e Javier Hernández
Decepção: Franco
O que deve melhorar: Criação do meio-campo
Até onde vai: oitavas

O México jogou menos que podia, isso é uma ideia clara. Há talento em abundância no elenco azteca, que pagou por escolhas infelizes de Aguirre. O treinador foi conservador demais com Guardado e Hernández, apenas opções de segundo tempo para ele, mas os diferenciais técnicos da equipe. Para avançar às quartas desta vez, contra a 100% Argentina, os mexicanos precisarão de uma grande evolução coletiva em um curto espaço de tempo. Parece difícil.

ÁFRICA DO SUL
Sistemas táticos: 4-2-3-1 / 4-2-3-1 / 4-3-2-1
Nota do time: 7,0
Nota do treinador: Carlos Alberto Parreira - 7,0
Melhor jogador: Tshabalala
Também foram bem: Dikgacoi e Mphela
Decepção: Pienaar

A África do Sul fez tudo o que poderia e teve um pouquinho de falta de sorte. A avaliação de Parreira, justamente essa, é correta. O sorteio não foi generoso com os donos da casa, que atuaram de forma competitiva nos três jogos, mas não souberam matar os adversários quando foi preciso. Faltou um pouco de técnica e um pouco de maturidade, mas os Bafana Bafana se despediram de forma honrosa.

FRANÇA
Sistema tático: 4-3-3 / 4-2-3-1 / 4-3-3
Nota do time: 1,0
Nota do treinador: Raymond Domenech - 0
Melhor jogador: Diaby
Também foram bem: Lloris e Malouda
Decepção: Gourcuff

Os aspectos técnicos e táticos ficam em terceiro plano. O vexame francês na Copa do Mundo, por um ambiente terrível e por confusões ridículas, é inaceitável. O grupo pareceu sem qualquer compromisso e o comando de Domenech se mostrou extremamente frágil. A imagem ruim é tão grande que até o governo precisou intervir, mas internacionalmente, hoje, a França tem sua reputação arranhada pelo que aconteceu na África do Sul. Um fim trágico para uma classificação que só aconteceu graças a um erro extremo de arbitragem.

GRUPO B: Argentina 9 pts - Coreia do Sul 4 pts - Grécia 3 pts - Nigéria 1 pt

ARGENTINA
Sistemas táticos: 4-2-3-1 / 4-3-1-2 / 4-3-1-2
Nota do time: 8,5
Nota do treinador: Diego Maradona - 7,5
Melhor jogador: Lionel Messi
Melhor jogo: Argentina 4 x 1 Coreia do Sul
Também foram bem: Heinze, Mascherano, Tevez
Decepção: Demichelis
O que deve melhorar: Aspectos coletivos e sistema defensivo
Até onde vai: semifinal ou final

Três vitórias na primeira fase como só havia ocorrido em 1998. A Argentina superou as expectativas ao atropelar em um grupo fácil, fazer Messi jogar como nunca e se sentir à vontade, e transformar uma equipe que se anunciava defensiva jogando ao ataque. Há de se aguardar testes maiores para o sistema defensivo, que apresentou falhas crônicas em todos os jogos, e observar a evolução de aspectos coletivos, já que os argentinos venceram muito mais nas individualidades até aqui.

COREIA DO SUL
Sistemas táticos: 4-2-3-1 / 4-2-3-1 / 4-2-3-1
Nota do time: 7,0
Nota do treinador: Huh Jung-Moo - 7,0
Melhor jogador: Lee Chung-Yong
Melhor jogo: Coreia do Sul 2 x 0 Grécia
Também foram bem: Lee Jung-Soo, Lee Young-Pyo, Ki Sung-Yong e Park Ji-Sung
Decepção: Nenhuma
O que deve melhorar: Marcação no meio-campo
Até onde vai: oitavas

Muito positivo a Coreia do Sul retornar ao grupo dos 16 melhores do futebol mundial. A melhor seleção asiática ao longo de toda a década evolui de forma nítida em vários aspectos, inclusive o físico e o técnico. Os sul-coreanos dificilmente passarão pelo Uruguai, mas certamente estarão competitivos. Destaque para o ótimo externo Lee Chung-Yong, cheio de saúde pelo lado direito do meio-campo.

GRÉCIA
Sistemas táticos: 4-4-2 / 3-4-2-1 / 3-4-2-1
Nota do time: 4,5
Nota do treinador: Otto Rehhagel - 4,0
Melhor jogador: Gekas
Melhor jogo: Grécia 2 x 1 Nigéria
Também foram bem: Tzorvas, Katsouranis e Salpingidis
Decepção: Seitaridis

Esqueça a sólida e competitiva campeã europeia de 2004. Os gregos retornaram à Copa depois de 16 anos, mas ainda jogam sob as ideias do time que surpreendeu Portugal. Pareceu uma fórmula um tanto quanto anacrônica, embora a oferta de talento ainda seja muito baixa. A Grécia está entre as seleções que não deixarão saudades desta vez.

NIGÉRIA
Sistemas táticos: 4-3-3 / 4-4-2 / 4-2-3-1
Nota do time: 5,0
Nota do treinador: Lars Lagerback - 5,5
Melhor jogador: Kalu Uche
Melhor jogo: Nigéria 2 x 2 Grécia
Também foram bem: Enyeama e Odiah
Decepção: Yakubu

Aparentemente, Lars Lagerback, que chegou ao cargo em cima da hora, tinha boas ideias para a Nigéria, mas a escola africana que mais encantou na década passada é também uma das mais travadas do momento. Os atacantes, quase todos, têm cintura dura, e não há um sequer meio-campista talentoso. Os nigerianos fizeram três partidas competitivas, mas deixam o Mundial com um só ponto por não saber se impor tecnicamente contra os adversários.

2 comentários:

Braitner Moreira disse...

Ótimo resumo, capo!

Diego disse...

Gostei muito dos resumos. Concordo com as falhas da defesa Argentina, e acho que o Maradona pode se arrepender por nao ter o Milito no time titular, apesar dos 3 gols (todos fáceis) do Gonzo.